sábado, 11 de dezembro de 2010

Vida a dois

Vida a dois: o que fazer quando a relação não vai bem?

Autor fala sobre maneiras de evitar verdadeiros 'desastres' no relacionamento nas fases em que o romantismo está em baixa

Permitir e providenciar as pequenas "doses de saudades", bem como respeitar o tempo individual do parceiro é essencial na relação
Alguns relacionamentos oferecem a mulher um prazer sem medidas, muitas vezes eterno, no que diz respeito ao sentimento. Mesmo exibindo elementos importantes e ocasionando lembranças para toda a eternidade, no decorrer da vida, aparecem algumas "intempéries emocionais" suficientes para abalarem ou descontinuarem a relação, que até agora não apresentava nenhum sinal de dificuldade.
São infinitos os motivos que levam uma pessoa a romper com a outra, assim como a origem das atitudes separatistas. Problemas de condutas e de comportamentos inadequados, tais como mentiras e traições recorrentes, sem um porquê definido, constituem uma base para o término. Segundo Alexandre Bez, psicólogo especialista em relacionamentos, as palavras desmedidas, grosseiras, ou ainda as agressões verbais, são outros caminhos para o terminar a relação.

Do entendimento a recuperação

Para recuperar um relacionamento rompido ou entender porque ele não progride para um nível superior, existem vários passos. Confira abaixo:
Conhecimento pessoal, ou seja, saber se há interesse ou não na volta e o porquê desse não estar fluindo normalmente;
Lembrar dos velhos e bons tempos. Procure avaliar como era a relação no início e como está atualmente;
Identificar os porquês do desgaste, procurar a essência da culpa se é unilateral ou bilateral;
Perceber os pontos negativos existentes, assim como a deficiência e falta de diálogo, ajudando na recuperação dos desgastes e prevenção;
Gravíssimo: se o motivo do término foi agressão física, a reconciliação deve ser extremamente avaliada, pois certos comportamentos nunca mudam, em função da raiz rígida do caráter;
Ações carinhosas de pequeno calibre, desde que verdadeiras e despretensiosas, podem auxiliar em um novo recomeço;
Ter o tato necessário no relacionamento;
Permitir e providenciar as pequenas "doses de saudades", bem como respeitar o tempo individual do parceiro;
Tentar restabelecer a confiança, caso esta tenha sido perdida;
Agir sempre com naturalidade, sem ser dissimulado.
*Texto baseado no segundo livro de Alexandre Bez, que está em fase adiantada. A obra explora os possíveis fatores e os porquês que fazem um casamento ruir e também apresentam soluções das crises que, se descobertas a tempo, podem ser contornadas e administradas. Mostra também que a felicidade em si é utópica, mesmo encontrando a pessoa certa.

0 comentários:

Template - Dicas para Blogs