segunda-feira, 5 de julho de 2010

Palavras...

Porque certas palavras se repetem no caminho:
Sempre que sonho deponho as armas e o silencioso ofício dos dias.
Ainda que alguém me detenha quero ser Eva e Ave que esvoaçam com as palavras onde encontro o segredo interdito e desfaço as rotinas com o Sol e as asas de todos os silêncios.

Sempre que sonho atravesso uma porta que não resiste e me oferece a pulsação do corpo o lume e a língua uma espécie de presença e espuma.

Ainda que o artefato das pedras rugosas persista como o anzol que escava presas antigas acolho-as como flechas de fogo que me nascem entre as mãos.

Sempre que sonho lavro os materiais secretos do Amor deponho as armas, o tempo e os dias...

0 comentários:

Template - Dicas para Blogs