quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Como enterrar a vida digital?


Como enterrar a vida digital? - Utilidade pública



Testamentos virtuais são realizados para evitar dor de cabeça de quem perde uma pessoa próxima

E-mail, Orkut, MSN, Facebook, Twitter, podcast, blog e fotolog. Essas são algumas das formas de comunicação disponíveis na internet. Com um nome de usuário e uma senha é possível criar e-mails e páginas em sites de relacionamento. Mas quando o titular da conta morre, é justamente a senha que dificulta o acesso da família a esses serviços.

A psicóloga Shani Falchetti perdeu um amigo de 32 anos em um acidente de carro. O caso ocorreu há algum tempo e até hoje o perfil dele no Orkut continua disponível. Isso gera um certo incômodo na amiga, que defende a exclusão definitiva da página. ''Lá estão as coisas que ele gostava, as comunidades, as fotos, os recados. Quando ele morreu os amigos deixaram mensagens de despedida e com lembranças de quando estava vivo. É triste. Acho que a família deveria deletar.''

Um dos maiores problemas em deixar disponível a página de relacionamentos de uma pessoa morta são os recados, que ficam disponíveis para leitura. Como qualquer pessoa pode opinar, algumas mensagens causam desconforto aos familiares. Em 2005, um jovem de Curitiba morreu após cair acidentalmente de um prédio, em Minas Gerais. O assunto foi divulgado em diversos veículos de comunicação, atraindo a atenção das pessoas. Dias depois alguns usuários do Orkut postaram acusações, alegando que a vítima estava bêbada, usando inclusive termos inadequados.

Serviço especializado

Para resolver problemas como esses, diversas pessoas optam por excluir a ''vida on-line'' de alguém que morreu. Nos Estados Unidos existem empresas especializadas, mas é necessário que o próprio titular das contas contrate o serviço. Ou seja, antes de morrer ele já deixa preparado o destino da ''vida on-line''. São os chamados testamentos virtuais.

Uma das empresas é a Youdeparted.com . No site, a empresa pergunta: ''Sua família saberá os detalhes da sua vida caso aconteça algo com você? Quem saberá tomar conta de todas as coisas que eram de sua responsabilidade?''

O serviço funciona por meio do armazenamento de senhas, logins e códigos. O contratante também pode solicitar a armazenagem de fotos e documentos pela internet. Os custos variam de US$ 10 (por ano) até US$ 240 (taxa única). No serviço mais completo, é possível deixar uma mensagem que será enviada aos amigos e familiares quando morrer. Também existe a opção de deixar indicado como deve ser feito o enterro.

O preço da Legacylocker.com vai de US$ 30 a US$ 300 e os serviços são semelhantes. A empresa armazena os dados da vida digital do usuário. O contratante deve indicar algum familiar ou amigo que irá enviar a certidão de óbito dele, quando for o caso.

A Slightlymorbid.com cobra mais barato (de US$ 10 a US$ 50). Lá, é possível deixar as últimas palavras aos amigos e familiares. Quando a empresa é notificada da morte do usuário (anunciada por alguma pessoa que já sabia da existência do serviço), a mensagem é disparada para os contatos registrados.

No Brasil um serviço como esse ainda não existe. O usuário pode optar pelas empresas estrangeiras, mas os sites e contratos são todos em inglês. Além disso, o pagamento é feito em dólar. Para os que preferem fazer o trabalho por conta própria, a FOLHA pesquisou a forma de deletar alguns dos principais serviços disponíveis na internet.

Como apagar os registros

TWITTER
O microblog desativa automaticamente as contas não usadas após seis meses.

FACEBOOK

O site criou um serviço que funciona como um memorial. Apenas os amigos do titular morto podem tê-lo na rede de relacionamento. Mas é necessário preencher um formulário no link http://migre.me/6pRy, em inglês. Se a família decidir excluir a conta, deve enviar um e-mail, também em inglês (abuse@facebook.com), com cópia do atestado de óbito e documento que comprove o grau de parentesco.

ORKUT

As contas podem ficar ativas para sempre, pois não são excluídas caso o usuário deixe de acessar durante um tempo. Para excluir, é preciso entrar em contato com o Google, comprovar o parentesco e a morte do titular. O formulário é preenchido pelo link http://www.google.com/support/orkut/bin/request.py?contact_type=deceased.

HOTMAIL

Caso a caixa postal não seja acessada durante 120 dias, a empresa deleta a conta automaticamente. Se for necessária a exclusão imediata, é preciso enviar por fax (00 xx 1 425 708 0069) ou carta (1065 La Avenida, Building 4, Mountain View, CA 94043, USA), uma solicitação contendo cópia dos documentos pessoais do requerente e do óbito do titular, além dos dados da conta (e-mail, nome e data aproximada do último acesso). Tanto o número do fax como o endereço ficam nos Estados Unidos.

YAHOO!

É necessário entrar em contato com o serviço de atendimento ao consumidor e pedir o término da conta, através do link http://help.yahoo.com/l/br/yahoo/helpcentral. É exigido o envio de uma cópia da certidão de óbito do parente.

GMAIL

A empresa exige o envio de documentos que comprovem o parentesco com o dono da conta e o atestado de óbito. Se a pessoa morta for menor de idade, é preciso uma cópia da certidão de nascimento. Isso pode ser feito pela internet, fax (00 xx 1 650 644 0358) ou correio, nos Estados Unidos (Google Inc. Gmail User Support. 1600 Amphitheatre Parkway. Mountain View, CA 94043).

http://www.bonde.com.br/folhadelondrina/?id_folha=2-1--4661-20091112

0 comentários:

Template - Dicas para Blogs